Cordel Sobre Agitação e Propaganda

AGITPROP:

ORGANIZAÇÃO E CONSCIENCIA DE CLASSE

 

Nesse cordel compartilho

A minha monografia

Para encerrar o curso

Com a mesma alegria

De quando ao rio chegamos

Bem cheios de poesia

 

Nesses versos vou tratar

Tema muito importante

Presenta na minha vida

Feita assim, de militante.

Agitação e Propaganda

Veja que interessante

 

Sobre o importante tema

Eis ai duas questões

Que papel ele cumpriu

Em duas revoluções

Na russa e na cubana

Quais as suas lições?

 

A outra também é simples

Vou dizer com paciência

Que relação ele tem

No processo de consciência

Para ver nas relações (sociais)

Sua verdadeira essência?

 

Antes de ir ao conceito

Peço a devida atenção

AGITPROP é o termo

Faz a precisa junção

Das duas atividades

Propaganda e agitação.

 

É uma tática interessante

Há muito tempo utilizada

Pela classe trabalhadora

Em sua longa caminhada

Pra poder ser um humano

Com a vida emancipada

 

O AGITPROP está

Intimamente ligado

A toda ação politica

Do partido organizado

Na sua estreita relação

Junto ao proletariado

 

Pra difundir suas ideias

Compartilhar sua visão

Sobre os problemas do povo

Denunciar a opressão

Mobilizar toda massa

Pra fazer a revolução

 

Foram Marx e Engels

Que primeiro exercitaram

Junto a Liga Comunista

E também aos operários

Para que a burguesia

Não os fizessem de otários

 

O recado foi direto

Na mensagem do comitê

Assumam a sua luta

Não se pode estremecer

Não esperem que burguês

Faça a luta por você

 

Foi à Primavera dos Povos

Digo com muita emoção

A Europa toda enfeitada

Era grande a agitação

Todo canto pipocava

De vida e revolução

 

Um documento instigante

Nessa época, publicado.

De Manifesto Comunista

Pela Liga foi chamado

Que deixou a burguesia

Com o ar bem preocupado

 

E na Revolução Russa

Pra completar o recado

Enfrentando a opressão

Caminharam lado a lado

Operário e camponês

Sem esquecer o soldado

 

Pra difundir as idéias

E dar maior incentivo

Pois operário instruído

É bem mais combativo

Eles criaram o jornal

O organizador coletivo

 

Outro meio utilizado

Pra fazer agitação

Era a arte do teatro

Com a sua animação

Fazendo o povo entender

Qual era a situação.

 

Muitos ensinamentos

 A Rússia nos deixou

Com sua força na luta

Todo povo conquistou

A sua emancipação

Nova vida organizou

 

Elevar a consciência

Buscar a revolução

Era a palavra de ordem

Que alimentava a ação

Pelo desejo comum

De terra, paz e pão.

 

A outra revolução

Agora vou lhe falar

Fica mais perto de nós

Num pequenino lugar

Mas, que se fez gigante.

Para o império derrotar

 

A Revolução Cubana

Que muito nos anima

A continuar na luta

Superar a nossa sina

Da dominação histórica

Sobre América Latina

 

Aqui vale destacar

Como primeira ação

Acontecido marcante

No campo d’agitação

O assalto a Moncada

Cumpriu essa missão

 

Mesmo falhando

No seu objetivo

O ataque ali serviu

Para dar o aviso:

Te preocupa ditadura

O movimento tá vivo!

 

Outro fato interessante

Digo agora seu roteiro

Deu-se no julgamento

Do principal prisioneiro

Fidel Castro Ruz

Seu nome por inteiro.

 

E nessa ocasião

Assumiu sem fraquejar

Sua defesa e fez dela

Ato de denunciar

Aquele duro regime

Que estava a se instalar

 

Ora, o réu tava trocado

Era preciso ajustar

Encerrou sua defesa

Dizendo firme no ar

Se Fidel for condenado

A história o absolverá

 

Vale aqui ressaltar

Mais uma preocupação

Tida pelo movimento

Fazendo a preparação

E antes do julgamento

Distribuiu o documento

Pra toda população

 

Fidel foi condenado

Cuba não se acalmou

Batista tocou o Barco

O governo consolidou

Achando está forte

A Anistia anunciou

 

Mas, para ter anistia.

Era preciso negar

O ataque ao Moncada

E o governo aceitar

Uma manobra de Batista

Para se legitimar.

 

 

Em resposta o movimento

Uma campanha organizou

Exigindo a liberdade

De quem por cuba lutou

A pressão foi tão grande

Que o governo aceitou

 

A Conquista da anistia

Foi muito comemorada

Mas, o governo não dava.

Uma brechinha pra nada

Foram então ao México

Preparar a luta armada

 

Antes de sua saída

Perto de se despedi

Deixa forte recado

Aos que estavam ali

‘Daqui um ano voltamos

Pra ser herói ou martir’

 

No exilio foi intenso

Trabalho de propagar

Conferencias e debates

Feito em todo lugar

Convocando os cubanos

Para unidos lutar

 

No ano prometido

Realizaram o regresso

Mas, o planejado.

Para o devido sucesso

Não sai do mesmo jeito

Atrapalhando o processo.

 

Foi grande a aflição

Ali naquele momento

O exercito conseguiu

Descobri o movimento

Quase mata a guerrilha

Antes do seu nascimento.

 

Já em solo cubano

Começaram a guerrilha

O desgaste do exercito

Preparando armadilha

Convocando todo o povo

Para libertar a ilha

 

Para furar o bloqueio

E sua luta divulgar

Organiza o movimento

Uma ação exemplar

E antes da corrida

O corredor sequestrar

 

Juan Manuel Fangio

O campeão mundial

A corrida perdendo

Seu atrativo principal

Esse fato repercute

A nível internacional

 

Outra ação importante

Agora vou lhes contar

Foi a Radio Rebelde

Usada pra divulgar

As ideias do movimento

Ouvida em todo lugar

 

Vamos passar agora

Digo com precisão

Ao segundo capitulo

Por isso peço atenção

Que fala da consciência

Que vive transformação

 

Lenin diz n’o que fazer

Uma importante lição

Que a luta espontânea

Do operário em ação

Pode melhorar a vida

Mas, num faz revolução.

 

Pois a luta espontânea

Tida como principal

Pelos economicistas

Tal e coisa, coisa e tal.

Só eleva a consciência

Ao nível sindical.

 

Ao operário é preciso

Ampliar compreensão

Sobre todas as classes

Com que tem relação

Só assim será possível

Qualificar a ação

 

Esse salto é importante

Marca a transformação

Da consciência da classe

Forjada na sua ação

Soldada com a teoria

Pra fazer revolução

 

Vou falar da nossa luta

Do caminho em construção

Para organizar a classe

Superar a dominação

Imposta pela burguesia

Por consenso e coerção

 

O poder dominante

Que tem a burguesia

Para prender operário

Provocando letargia

Expressa ação concreta

Da sua forte ideologia

 

Essa tal de ideologia

Sustentada na produção

Fazendo o trabalhador

Vivendo má situação

Querer ser igual burguês

E não ver a exploração

 

A ideologia é forte

Mas não resolve o problema

Que vive o trabalhador

Com o seu estratagema

A contradição acontece

É inerente ao sistema

 

No sistema capital

Trabalhador não tem saída

Só tem exploração

Sua força é extraída

Suga atéa ultima gota

De sangue da sua vida.

 

Estar ao lado da classe

Nessa dura condição

Ajudar a fortalecer

A nossa organização

Entender a realidade

Enxergar a opressão.

 

Diante disso tudo

Temos que continuar

Reorganizar as forças

A tática reajustar

Melhorarmos a ação

Pro capital derrotar

 

É tarefa principal

Buscar a superação

Do sistema capital

Abolir a opressão

Construí novo mundo

De trabalho e união

 

Por fim quero afirmar

Nessa curta produção

Que o AGITPROP tem

Uma importante função

A serviço da classe

Pra fazer revolução

 

Manter a convicção

        Aumentar nossa vontade

    Reunir todas as forças

    Conquistar a liberdade

     Organizar novo mundo

     Ser humano de verdade

 

Fim.

Autor: 
Marcos Freitas (Marquinhos)
Ano: 
2011
  • Formato de biblioteca: