Curso Realidade Brasileira Vale do Jequitinhonha

Finalizou no dia 09 outubro de 2016, mais um Curso da Realidade Brasileira - CRB do Vale do Jequitinhonha. Esta já é a terceira turma realizada na região. O curso realiza turmas de leitura e estudos a partir dos grandes pensadores brasileiros e envolve alunos e alunas de diversos grupos sociais, lideranças comunitárias e movimentos sociais de todo o Vale, propondo e organizando o estudo do conteúdo social, cultural, econômico e político brasileiro e regional, na perspectiva da educação popular, embasadas nas idéias de Florestan Fernandes, Paulo Freire, Darcy Ribeiro e outros pensadores.

 

Cerca de 70 cursitas passaram pelo curso, desde novembro de 2015. E neste último encontro foi momento de celebrar a certificação de cerca de 45 alunos/as que tiveram percentual de frequência exigido para receber os certificados. Várias organizações e movimentos sociais contribuíram para que o curso acontecesse: Instituto Federal do Norte de Minas – Campus Araçuaí, Centro de Agricultura Vicente Nica, Brasil Foundation, Coordenadoria Ecumênica de Serviço, Cáritas Diocesana de Araçuaí e Baixo Jequitinhonha, Cáritas Brasileira Regional MG, Movimento dos Atingidos por Barragem, Fundo Nacional de Solidariedade, Comissão Pastoral da Terra, Levante Popular da Juventude, Mandato do deputado Estadual Dr. Jean Freire, Pastoral dos Migrantes, Consulta Popular, dentre outras parcerias.

Durante quase um ano de estudo e muitas reflexões sobre o Brasil e o Vale do Jequitinhonha, vários assessores e assessoras passaram por lá: A professora Flavia Galizoni, com o tema “Formação social do Brasil”; Fernanda do Cepis discutiu “Educação Popular”; Decanor Nunes e Clebson Sousa falaram sobre “Educação do Campo”; Carlos Pereira, com o tema “Mundo do trabalho”; Bruno MST “Questão agrária”; Márcio Adriano com “Economia política”; Bernadete Monteiro “Gênero e opressões”; “Questão energética e crise hídrica” - Aline Ruas; E por fim, o tema “Projeto Popular”, com Frederico Santana. No último módulo aconteceu as apresentações dos trabalhos finais dos cursistas, os quais se concentraram nas temáticas: questão agrária, gênero e migração. Momento em que contamos nossas histórias de lutas sobre a migração, conflitos agrários, reforma agrária, desigualdades entre homens e mulheres e a questão LGBTT, e refletimos sobre nossas estratégias de luta.

O CRB é mais um espaço de aprendizado, onde percebemos cada vez mais a importância de uma formação para libertação, ajudar as pessoas a se emanciparem a partir de diversos espaços educativos e suas organizações. Desta forma, destacamos a importância dos movimentos sociais, associações civis do campo e as instituições de ensino nessa função de cumprir seu papel social perante a sociedade, contribuindo e formando cada vez mais pessoas conscientes de seus direitos e deveres, dispostas a intervirem em sua realidade.

 

Neste sentido, o CRB é um importante espaço para contribuir nessa formação para uma educação crítica e emancipadora, por ser um espaço de diálogo, de construção coletiva, reflexiva e indagadora caminhando contra a sociedade mercantil e capitalista, da qual fazemos parte, muitas vezes, de um sistema de escravidão voluntária, onde a ditadura da mídia contribui significativamente para alienar e “emburrecer” as pessoas, tratando-as como massa de manobra. É sobretudo, um espaço para formar pessoas dispostas a lutar contra essa lógica capitalista e colonizadora, capazes de se indignar perante as injustiças sociais tão latentes na sociedade.



Fonte: 

Por Maria Afonso

Educadora Popular – Cáritas Baixo Jequitinhonha

Cursista III turma do CRB