Dia 5 de novembro Enver José, perseguido pelos empresários de ônibus, volta ao Tribunal de Justiça

Próxima segunda, dia 5 de novembro às 14h, Enver José volta ao Tribunal de Justiça por ter sido injustamente processado pelas empresas de ônibus de João Pessoa-PB.

 

O jovem de 24 anos, está sendo acusado de forma injusta de ter arremessado uma bomba com “efeitos análogos ao engenho de uma dinamite” por debaixo de um ônibus lotado de passageiros, nos atos contra o aumento da passagem realizados em 2011. Se caso Enver for considerado culpado, pode pegar de 2 à 6 anos de cadeia.

 

 

É a terceira vez que o jovem do Levante Popular da Juventude irá comparecer aos tribunais em relação a este processo, pois nas outras audiências em que compareceu, nem todas as testemunhas foram ao julgamento. Segundo o estudante de geografia da UFPB, “as testemunhas estão com medo de comparecer, pois sabem que falaram mentira na delegacia e não têm a corajem de depor diante do tribunal. Elas [as testemunhas] foram criadas e receberam orientação para mentir, mas estão agora com bastante receio, pois depor mentiras no Tribunal é crime, elas podem ser processadas num futuro. Tudo isso é uma mentira para tenta me intimidar e também os jovens que lutaram nos atos contra o aumento da passagem, porém, o que conseguiram, foi uma maior disposição para desmascarar esses empresários exploradores do povo ”. Perguntado sobre o que espera desta audiência de segunda, respondeu, “espero que as testemunhas de acusação compareçam ao tribunal para que possamos desmacarar de uma vez por todas essa farsa”.

O jovem também está sendo acusado de ter arremessado uma suposta bola de sinuca na cabeça de um sindicalista-patronal. Este processo do falso arremesso da bola de sinuca, já teve todas as testemunhas escutadas pela Justiça e nos próximos meses sairá a sentença.

Esses processos contra Enver José, mostra como a Justiça muitas vezes está sendo utilizada para tentar criminalizar os movimentos sociais. Onde os empresários utilizam-se desta instância para tenta penalizar e intimidar os militantes sociais. Esperamos que no caso de Enver, este seja totalmente absorvido, já que nenhum destes fatos sequer ocorreram, tratando-se de uma fantasia por parte dos empresários para perseguir o movimento.

O Levante Popular da Juventude solicita que tod@s divulguem esta notícia, apoiando o companheiro, pois acreditamos que não se trata de um processo individual, mas de um processo COLETIVO contra aquel@s que lutam por um mundo justo. É um processo que diz respeito à luta por uma sociedade onde a vida das pessoas seja colocada em primeiro lugar, e não, a ganância de empresários.

Somos tod@s Enver José!

Pátria Livre!

Venceremos!