Levante da Juventude realiza ações de denuncias á dois torturadores no Pará

Em Curianópolis a atividade começou as 9h da manhã saindo de frente da prefeitura de Curionópolis e percorrendo a cidade no centro comercial, fazendo panfletagem e tomando as ruas do centro comercial. Foram cerca de 30 jovens do LPJ de Parauapebas e Curionópolis. Fizemos paradas para performance que retratava a ditadura e a tortura, panfletagens e gritos de odem além de muita animação.

A figura do Curió nesta região é muito forte e as pessoas no fundo repudiam ele, que até cinco anos atrás era ainda o grande coronel da região. Alem da denuncia e do pedido de punição ao torturador, a juventude sugeriu no ato a mudança do nome da cidade, que se municipalizou em 1989 e tem o nome em alusão ao Major Curió.

A receptividade foi muito positiva, principalmente devido a forma de denuncia, muita alegria e performances que fazem o povo trazer a memória uma história que aqui ainda é recente e forte.

Houve a cobertura da TV liderança e rádio Liderança fm, que entrevistaram militantes nosso e vai veiculou no jornal do meio dia e na rádio.

Achamos que está lançada a semente!

Juventude que ousa lutar: constrói o poder popular!

 

 

“O homem está condenado a liberdade!”

Jean Poul Sartre

 

A juventude organizada da região do Carajás, no sudeste do Pará, saímos às ruas da Cidade de Curionópolis para resgatar a história do nosso povo e do nosso país. O Movimento do Levante Popular da Juventude trouxe à memória da cidade, a história da guerrilha do Araguaia cuja figura emblemática desse lugar é o Sr. Sebastião Curió Rodrigues de Moura, o Major Curió,o torturador vivo mais conhecido do regime militar. Esse sanguinário senhor comandou a tortura, o fuzilamento, a degola de militantes do PCdoB e da população local da região do Araguaia onde estava, entre 1972 e 1975,sendo preparada junto aos camponeses da região do bico do Papagaio a conhecida guerrilha do Araguaia. Em que foram assassinados entre tantos, Osvaldão, Dina Teixeira, Zé Ferreira e Elenira Rezende. Esse Carrasco esteve envolvido ainda, no comando do garimpo de Serra Pelada (1980 a 1983) e na repressão ao MST (na origem do movimento, na Encruzilhada Natalino/RS).

Não esquecemos de toda a barbárie cometida e saímos as ruas denunciando e exigindo punição aos torturadores do povo lutador.

Nas ruas as brigadas de agitação e propaganda do Levante Popular da Juventude foi bem recebida e teve a aprovação da população que não esquece os desmandos desse torturador nesta cidade em que já foi prefeito (2000 a 2008), inclusive esta cidade tem no nome de Curionópolis em sua homenagem (municipalizada em 1989). A juventude conclama a população a mudar o nome da cidade em favor da memória dos militantes barbaramente assassinados pela ditadura militar e pelo famigerado comandante Curió.

Não deixaremos que a história seja omitida, a mesma força que matou e torturou durante a ditadura, hoje mata e tortura nossos jovens negros, os camponeses e os pobres da periferia... Saímos as ruas em defesa da Comissão Nacional da Verdade e contra os torturadores.

Até que todos os torturadores sejam julgados, não esqueceremos e nem descansaremos.

Pela Memória, Verdade e Justiça!

Juventude que ousa Lutar: constrói o poder popular!