Militantes pedem a extratdição de Torturador argentina, preso no Brasil por estelionato

Dirigentes, militantes participaram na última segunda-feira 26 de uma manifestação em frente ao presídio na cidade de Lages.

Diversos movimentos sociais e sindicais estiveram presentes, entre eles o Fórum dos Trabalhadores de Blumenau, a Federação Estadual dos Bancários de SC, a União Catarinense dos Estudantes, o SEEB de Florianópolis, a Consulta Popular, a Aprasc, Intersindical, e o MST, que organizou a manifestação em razão de que um dos presidiários detido por estelionato foi reconhecido como torturador durante a Ditadura no Brasil.

Esse presidiário teria sido tenente da Marinha Argentina e teria vindo ao Brasil, praticando diversos crimes, assim como também havia praticado na Argentina.

O objetivo da manifestação foi pressionar as autoridades para que esse presidiário não somente respondesse por pequenos delitos cometidos em Santa Catarina como também pelos crimes de tortura praticados no País pela Ditadura Militar.

Presos comentaram que esse presidiário é arrogante e se vangloria de ter matado muitas pessoas. Daí estar sozinho em cela para não ser surpreendido pelos demais.

Era quase meio-dia quando o diretor do presídio recepcionou uma comissão formada de cinco manifestantes, tendo sido um do MST, um do UCE, um do SEEB Florianópolis, além do presidente do SEEB Blumenau e Região, Leandro Spezia, e do deputado estadual sargento Soares.

Do lado de fora, os demais manifestantes utilizaram-se de batuques, tambores protestando com palavras de ordem, como também fizeram uso de um caixão preto com a frase “Tortura Nunca Mais”.

Após a reunião, Spezia informou aos demais que foi apresentado ao diretor do presídio um documento relatando a preocupação que havia em relação ao presidiário para que ele se mantenha preso e que seja julgado também pelos crimes de tortura aos militantes de esquerda no Brasil.

O movimento continuará acompanhando a trajetória do torturador até que a Justiça seja feita e também realizará novas manifestações, seguindo o calendário nacional.