Moradores da Pedreira fecham Antônio Carlos em denuncia às precárias condições do bairro

Mais de 150 moradores da Pedreira Prado Lopes (PPL) realizaram na manhã de hoje uma passeata na avenida

Antonio Carlos, na direção bairro-centro na altura do IAPI, fechando o trânsito por 30 minutos. O objetivo é denunciar a demora no término das obras do Programa “Vila Viva” e as precárias condições de vida dos moradores.

Com cartazes e faixas, a população da PPL, saiu às ruas e ocupou a avenida com intuito de mostrar a sociedade mineira e belorizontina o que vêm sofrendo. Receberam o apoio do Movimento dos Desempregados (MTD), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Sindieletro, Levante Popular da Juventude e outros. 

Após caminharem por toda a comunidade, os manifestantes fecharam a Avenida Antonio Carlos, na altura do Viaduto da Republica do Congo, seguida de caminhada, ocupando duas faixas da via. 

 A situação da região é alarmante. Muitas casas começaram a ser demolidas, restando ruínas e entulhos abandonados no local, atraindo animais indesejados e doenças. Em diversos locais vê-se fluxo de esgoto a céu aberto, resultado das obras inacabadas. Há relatos ainda de que pessoas estranhas à comunidade têm ocupado os terrenos desapropriados, aumentando a insegurança dos moradores e o uso de drogas no interior da Pedreira.
 
Segundo relato da moradora Valéria Borges, a desapropriação das famílias se dá de forma autoritária, sem negociação e indenização justas. “Muitos não encontram lugar para morar posteriormente, e acabam tendo que deixar a região e ir viver em locais muito distantes”, conta.
 
A comunidade elaborou uma carta à população e à Prefeitura com estas e outras dificuldades enfrentadas, citando ali todas às suas reivindicações. Tico, um dos manifestantes e morador da região, afirma que o problema está na política da prefeitura. “Oque está por trás disso tudo é um plano de higienização social, que visa à expulsão dos trabalhadores que aqui vivem. O interesse da Prefeitura e da elite da cidade é limpar a região central de BH. Só a especulação imobiliária e os lucros das grandes empreiteiras é o que vale para esse pessoal”, diz.
 

  

Veja vídeo feito pelos manifestantes: http://www.facebook.com/video/video.php?v=256315621146083

Em anexo, leia detalhes da situação da comunidade no Manifesto.