Mulheres fazem do dia 25 uma semana de debate e luta contra a violência

Mulheres fazem do dia 25 uma semana de debate e luta contra a violência

O 25 de novembro foi marcado por uma semana de atividades no Pará. A programação realizada de 21 a 25 de novembro teve como objetivo dar visibilidade ao dia como referência de luta e mobilização social, provocar as mulheres para a auto-organização e para o enfrentamento à violência. Os vídeos-debates atingiram mulheres e homens de comunidades e da escola Cruzeiro do Sul em Icoaraci, as catadoras e moradores da comunidade da ASMOJE no bairro das Águas Lindas em Ananindeua, mulheres do bairro da Cabanagem – Belém e se estendeu para outros municípios como Marabá com caminhada e intervenção frente à delegacia da mulher, em Brasil Novo com debate e muralismo na praça da cidade. No dia 24, em Belém, o debate “memória, tortura e violência” congregou mulheres que vivenciaram o processo de repressão durante a Ditadura Militar, enfatizando a violência sobre a mulher em tempos de ditadura e as repercussões na vida atual. A programação contou com a participação de Eneida Panzera do PCdoB e Eliana do MMCC, além de militantes de diversas organizações sociais. A caminhada “Eu digo não à violência contra as mulheres”, realizada no dia 25 em Belém, reuniu cerca de 100 pessoas em um cortejo da escadinha da Doca à Praça da República, onde aconteceu panfletagem e uma intervenção repudiando a violência que atinge a cada 3 minutos 15 mulheres no Brasil, assim como o sistema opressor capitalista e patriarcal que intensificam a violência e a exploração das mulheres, roubando-lhes o direito à vida, ao trabalho e à remuneração digna, à autonomia sobre o próprio corpo e à liberdade. Diversas forças se somaram à caminhada como o Fórum Mulheres da Amazônia Paraense, AMB, RECIDE, MOVIDA e Movimento Olga Benário.  A atividade foi organizada pelas Marias, Levante Popular da Juventude, UJS, MST e contou com o apoio da Rádio Cabana FM.