Mulheres promovem apitaço contra ‘vagão rosa’ nesta quarta (23), na capital

Mobilização alerta para a proposta que segrega as mulheres e protege os assediadores nos trens e metrôs de SP

Mulheres da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (CUT/SP) e da Marcha Mundial de Mulheres realizam apitaço contra o ‘vagão rosa’ nesta quarta (23), a partir das 17h30, na Estação República, centro paulistano.

O ato público é um repúdio ao Projeto de Lei (PL) nº 175/2013, de autoria do deputado Jorge Caruso (PMDB), que obriga as empresas de transporte urbano de passageiros a reservarem espaço exclusivo às mulheres, como ao menos um vagão em cada composição dos trens ou do metrô.

O PL foi aprovado no último dia 3 e, após o recesso da Assembleia Legislativa de São Paulo, seguirá para o governador Geraldo Alckmin, que terá até 15 dias para sancionar ou não a proposta. Caso seja sancionada, as empresas terão 90 dias para se adaptar à nova legislação.

Discriminar não é a solução - Para as feministas, não há duvidas de que a medida, além de um retrocesso, não impedirá o assédio e a violência sofrida pelas mulheres no transporte público. Ao contrário, a preocupação é que, com a lotação do vagão exclusivo, aumentem os casos de mulheres sofrendo abuso por estarem ‘no lugar errado’. Vale destacar que o público feminino representa quase 60% dos usuários do metrô.

Pelo direito ao espaço público, exigimos: #VetaAlckmin!

-- 
Secretaria Estadual - Consulta Popular/SP
t.: 31046746
www.consultapopular.org.br