Sai o ditador Médici, entra o guerrilheiro Marighella. Solenidade renomeia Colégio estadual em Salvador.

 

   

Por Centro Cultural Expressão Popular

Na tarde dessa sexta-feira, 11 de abril de 2014, em solenidade convocada pela Secretaria estadual da Educação da Bahia aconteceu a mudança de nome do antigo Colégio Estadual Presidente Emílio Garrastazu Médici para Colégio Estadual do Stiep Carlos Marighella.

O  colégio foi inaugurado em 1972, quando o general Médici ocupava a Presidência da República, seu governo (1969-74) marcou o período de maior repressão na ditadura. O guerrilheiro baiano Carlos Marighella , “inimigo público número 1”, fundou a maior organização guerrilheira de combate à ditadura, a Ação Libertadora Nacional, ALN, e foi assassinado em 1969, justamente no governo Médici, nome que agora fica para trás. 

A troca do nome do Co­légio foi pu­bli­cada no Diário Ofi­cial do dia 14 de fe­ve­reiro, por meio da por­taria nº 865/2014, é resultado de uma consulta pública feita à comunidade escolar, estudantes, professoras/es, funcionárias/os e familiares. Vo­taram, no total, 658 pes­soas, sendo que 461 votos foram para Carlos Ma­righella e 132, para o geó­grafo Milton Santos

Gabriel Machado, do Levante Popular da Juventude, presente na solenidade, diz que "Foi muito importante a ampla adesão dos estudantes no processo de mudança do nome, e que agora, identificados com Marighella, com sua militância, seus valores e práticas estão procurando se organizar em movimentos sociais e entidades." 

Mario Soares Neto da Direção Nacional da Consulta Popular, também esteve presente no ato e destacou que "a ação de hoje representa o reconhecimento da ampla comunidade escolar, que decidiu por um processo democrático, retirar o nome de um ditador e renomeá-la com um lutador do povo. Essa iniciativa acontece por conta da ação de inúmeras organizações e movimentos, além da importante decisão política do governador Jaques Wagner e do Secretário Osvaldo Barreto em levar adiante o processo e renomear oficialmente o colégio. Hoje Marighella foi homenageado e com ele todo o povo baiano e brasileiro. O fundamental é seguirmos na luta por memória, verdade e justiça, para que os torturadores, que inclusive ainda atuam na luta política, sejam presos, para que sigamos em defesa da democracia."

Na foto, da direita para esquerda, estão: Gabriel Machado do Levante Popular da Juventude; o professor Sérgio Guerra, o Secretário da Educação da Bahia, Osvaldo Barreto; a diretora do Colégio Carlos Marighella, Aldair Dantas;  o governador da Bahia, Jaques Wagner; o dep. federal Nelson Pelegrino; o Presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abraão e a vereadora Vânia Galvão. (Foto: GOVBA) 

A solenidade contou ainda a participação da comunidade escolar, militantes de movimentos sociais e organizações populares, a Fundação Pedro Calmon, além dos filhos do guerilheiro, Maria e Carlos Marighella. 

 

                                                                   (Foto: GOVBA)

Fonte: 

por Centro Cultural Expressão Popular