Vitória! Enver José absolvido!

Os movimento sociais de João Pessoa, obtiveram uma grande vitória contra os empresários do transporte coletivo de João Pessoa. Após dois anos de processos tramitando na Justiça, Enver José, militante do Levante Popular da Juventude, agora está de fato LIVRE! No dia 28 de Janeiro de 2013, saiu a segunda sentença de absolção, negando que Enver José tenha cometido qualquer atrocidade. 

O primeiro processo acusava-o injustamente de ter arremessado uma “bomba com efeitos análogos ao engenho de uma dinamite”e ainda por cima ter tentado fechar a porta de ônibus para explodir os passageiros. O advogado Rômulo Palitot concluiu que “se de fato isto tivesse ocorrido não só seria um assassino, mas acusado de um homem bomba”. O fato é que não existiu provas concretas, as testemunhas foram compradas e orientadas para mentir. No tribunal, uma testemunha bastante nervosa em seus depoimentos acabou confessando que chegou na delegacia para falar sobre uma bola de sinuca (2º processo, veja a seguir) e ficou supreso ao saber que tinha que falar também sobre uma bomba que um “galego” tinha arremessado em um ônibus. Essas foram apenas algumas das diversas contradições que foram ditas nos Tribunais.

No segundo processo, Enver José foi acusado de ter arremessado uma bola de sinuca na cabeça de um motorista do sindicato que representa mais as empresas de ônibus que de fato os trabalhadores. 
No dia 12 de Janeiro de 2011 os empresários mandou o sindicato organizar uma passeata contra a passeata estudantil com o intuito de acabar com a manifestação contra o aumento da passagem de 1,90 para 2,10 da época. Muitos motoristas, cobradores e fiscais foram obrigados a comparecer e os “sindicalistas patronais” bateram em muitos estudantes e muitas estudantes. Na pancadaria, promoviado pelo sindicato, um motorista caiu no chão e acabou se machucando em meio ao tulmuto. Depois do ocorrido, o sindicalista foi a delegacia afirmando que o ferimento no rosto foi promovido por Enver José com uma bola de sinuca. “Nesse processo, as testemunhas também entraram em bastante contradição, teve uma testemunha que disse que ficou 40 minutos desacorda após os estudantes armados com spray ter jorrado em seus olhos pimenta. O cômico dessa história foi que isso ele disse na delegacia, depois de 1 ano foi para a Justiça e simplesmente disse que não se lembrava mais. Como uma pessoa esquece que jorraram spray de pimenta em seus rosto e de ter ficado 40min desacorda? Somente há uma resposta: isso nunca aconteceu”, concluiu Enver José. 

Esses dois processos não foi uma tentativa individual de amedrontar Enver José, mas com o objetivo de intimidar todas as pessoas que vão à rua fazer protestos. Foi uma tentativa de criminalizar o movimento, de tentar inverter os valores, afinal não sãos empresários que rouba o povo com uma passagem caríssima em João Pessoa? A vitória foi nossa, de todos aqueles que não aguentam mais serem explorados, de todas que vão a rua para dizer: basta! Que essa vitória no processo sirva de lição para que os empresários aprenda: eles podem muita coisa, mas não podem jamais tirar a nossa capacidade de sonhar e acreditar que outro mundo é possível. A Justiça foi feita! º/

 

 

Passe Livre para @s estudantes!
Mãos ao alto, 2,30 é um assalto!

Pátria Livre, Venceremos!
Levante Popular da Juventude - PB

Fonte: 

Levante Popular da Juventude - PB